Total de visualizações de página

19 de jul. de 2020

MINORIAS ÉTNICAS E COVID-19

Reproduzido de



O impacto severo do Covid-19 sobre pessoas de grupos étnicos minoritários tem sido ligado à poluição do ar e casas superlotadas e de baixo padrão por um estudo de 400 pacientes hospitalares.

Constatou-se que pacientes de minorias étnicas tinham duas vezes mais chances de viver em áreas de privação ambiental e habitacional, e que pessoas dessas áreas tinham duas vezes mais chances de chegar ao hospital com sintomas de coronavírus mais graves e serem internadas em unidades de terapia intensiva (UI).

Grupos étnicos minoritários eram conhecidos por serem desproporcionalmente afetados pelo Covid-19: eles representam 34% dos pacientes covid-19 gravemente doentes no Reino Unido, apesar de constituirem 14% da população. Mas as razões para a disparidade ainda não estão claras.
A pesquisa é a primeira a examinar o papel da privação ambiental e habitacional. Os médicos elogiaram o estudo, mas advertiram que ele ainda não foi formalmente revisado por outros cientistas e que estudos adicionais e detalhados em outras áreas são urgentemente necessários.

O estudo também constatou que os pacientes de minorias étnicas eram, em média, 10 anos mais jovens que os pacientes brancos, embora a explicação para isso seja desconhecida. Idade, fragilidade e condições de saúde subjacentes continuam sendo fatores críticos para todos os pacientes na determinação do desfecho do Covid-19.
O estudo concluiu: "Pacientes de etnia negra, asiática e minoritária (BAME- Black Asian Minority Ethnicity) são mais propensos a serem admitidos em regiões de maior poluição do ar, qualidade da habitação e privação de superlotação doméstica. Isso provavelmente contribuirá com uma explicação para as maiores internações de UI relatadas entre os pacientes (BAME) do covid-19”.

David Thickett, professor de medicina respiratória da Universidade de Birmingham e um dos responsáveis dos estudos, disse. "Não é surpresa que as pessoas que vivem em áreas pobres e moradias pobres se deem mal em uma pandemia. Isso é verdade desde a Peste Negra e isso reafirma a importância da privação em influenciar o padrão da doença."

[…]