Total de visualizações de página

21 de jan de 2017

AOS CAROS LEITORES DO "ECOLOGIAEMFOCO"

Um dos maiores objetivos deste blog é dar minha contribuiçào ao conhecimento da problemática da conservação e preservação ambiental, principalmente com referência aos grandes ecossistemas brasileiros.
Venho mantendo um ritmo de postagens semanais há mais de cinco anos (se não me engano), esforçando-me para sensibilizar e conscientizar centenas de alunos que tenho tido como professor de ecologia, desde o ano de 1971, inicialmente na Universidade Federal da Bahia e, a partir de 1976, na Universidade Federal da Paraíba. Com algumas, digamos interrupções, para o Mestrado na USP, PhD em Essex, Inglaterra, Pós-Doutorado em Rothamsted, também na Inglaterra; e quase três anos como pesquisador no Centro de Pesquisas do Cacau (CEPEC, na CEPLAC, Ilhéus, BA).
Confesso sentir uma certa decepção ao consultar a estatística deste blog e observar que o número de acessos a ele feitos no exterior, supera em mais de dez vezes aos acessos feitos aqui no Brasil. Meus próprios alunos (e ex-alunos) a quem incentivo para consultá-lo, não o fazem!
Em assim sendo, vou suspender as postagens do ecologiaemfoco, "sine die".
Agradeço a todos que o prestigiaram. Por enquanto vou dar continuidade às postagens (menos frequentes) no outro blog, em inglês; trata-se do www.ecologyintofocus.blogspot.com.

8 de jan de 2017

ÁGUA NO CERRADO: "DRENOS" SUPERANDO AS "FONTES" !?

Vejamos inicialmente, os conceitos de "fontes" e "drenos":

FONTE E DRENO (ou CAPTOR)
Referem-se estes termos respectivamente, ao componente ambiental de onde se origina um 
nutriente (ou elemento químico participante da biogeociclagem) e ao componente que absorve ou fixa tal nutriente (tirando-o momentaneamente do processo de ciclagem).
No caso da água, oceanos, rios, lagos etc...são suas fontes, enquanto sua fixação temporária na biomassa e infiltração no solo e outros materiais abióticos constituem-se em seus drenos.

Importante tema reproduzido do CORREIO BRAZILIENSE



http://especiais.correiobraziliense.com.br/menos-agua-mais-consumo-a-conta-que-nao-fecha