Total de visualizações de página

14 de mar de 2008

REVITALIZAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO: PROJETO DE CRUCIAL IMPORTÂNCIA

Caros amigos "antenados" com os programas de governo e em especial do rio São Francisco:
Li e relí, observando detalhes, anotando e "até sonhando´" que tudo que está descrito no RELATÓRIO/2007 do PROGRAMA DE REVITALIZAÇÃO DO RIO SÃO FRANCISCO, tenha sido realizado conforme programado e que continue sendo, conforme planejado. Baixei este relatório do site do Ministério da Integração (http://www.integracao.gov.br/), disponibilizado em PDF (5,3Mb; 44 pág.).
Algumas observações do programa ou projeto:
1) A revitalização pretende contemplar um IMENSO MOSAICO DE OBRAS E ATIVIDADES, que já deveriam ter sido implantadas HÁ MUITOS ANOS, ANTES de se pensar em exploração adicional dos recursos do rio São Francisco.
2) Alguns exemplos das intenções do projeto: contenção de erosões; drenagem; adutoras; abastecimento de água; esgotamento sanitário; desenvolvimento florestal da bacia; tratamento de resíduo sólido; recuperação de áreas degradadas (incluindo as de assentamentos); tratamento (armazenamento de embalagens de agrotóxicos); triagem de animais silvestres; melhoria da hidrovia... etc... etc. Tudo isso ao longo do rio que atravessa grandes extensões (mais de 2.700 km) dos estados de MG, BA, AL, PE e SE.
3) As intenções são tão amplas, que até preocupação com a manutenção de equipamentos para manter "nível de ruído aceitável" (de acordo com especificações do fabricante do equipamento), será ou é, contemplado no projeto. Assim como também o contrôle da emissão de gases! Meus amigos: isto é "primeiro mundo" autêntico!!!
4) No programa de comunicação social e de educação ambiental, prevêem-se treinamentos com preocupações para coleta de germoplasma e salvamento de patrimônio arqueológico.
5) Os recursos alocados para os 36 Programas Ambientais listados, alguns executados, outros em execução e vários em fase de planejamento, foram da ordem de R$194 milhões em 2004-06, R$365 milhões em 2007, e serão R$575 milhões e 398 mil para 2008-10. Se tais recursos são suficientes, eu particularmente, não sei fazer o mínimo julgamento. O que mais me impressiona, é "o que se tem por fazer". Nunca se fez praticamente nada em termos de revitalização do rio e agora, temos que correr contra o tempo.
Tive a oportunidade de passar diversas vezes por vários trechos do rio, principalmente nos trechos próximos a Joazeiro/Petrolina e Penedo/Propriá. Não é preciso ser especialista para perceber que muito há por se fazer para a revitalização deste rio, entregue à própria sorte, desde a colonização. Tenho curiosidade em saber o que será necessário se fazer nos trechos em direção à nascente (MG). Se o trabalho de revitalização não for bem feito a montante, o que vier a ser feito a jusante será um desperdício! De fato, a maior parte do recurso previsto para o triênio 2008-10, destina-se a obras no estado de Minas Gerais (mais de R$216 milhões), de acordo com o relatório.
Sentí-me feliz com o que lí no relatório; mas ao mesmo tempo, um tanto quanto cético, vez que tenho plena consciência de que no Brasil, nem sempre tudo que é planejado, é realizado. Quem fiscalizará??? Se o recurso alocado proviesse de agente financiador internacional, que certamente o proveria por cumprimento de etapas de execução, haveria um mínimo de garantia em suas realizações. Mas, será que é assim?
Se descobrirem informações que me ajudem a avaliar melhor sobre esta problemática, favor informar-me. Gosto de utilizar diversas fontes de informação nas minhas aulas (políticas ambientais, desenvolvimento sustentável ...).
Saudações,
Breno Grisi

12 de mar de 2008

ATENÇÃO CRIADORES DE ANIMAIS SILVESTRES!!!

Divulgado no PORTAL DO MEIO AMBIENTE

REBIA - REDE BRASILEIRA DE INFORMÇÃO AMBIENTAL, em 11/03/2008

Consulta Pública definirá espécies da fauna como animais de estimação
Brasília - O Ibama disponibilizou para Consulta Pública a lista prévia de espécies da fauna silvestre nativa que poderão ser criadas e comercializadas como animais de estimação, conforme determina o Art. 3º da Resolução Conama nº 394 de 6 de novembro de 2007.
A consulta pública estará disponível até o dia 6 de abril de 2008 no site do Ibama. Ao término deste prazo, o Ibama fará a análise de todo o conteúdo, objetivando editar uma lista que atenda aos anseios da sociedade brasileira.
As contribuições devem ser enviadas para o e-mail: fauna.sede@ibama.gov.br com as espécies a serem incluídas ou excluídas devidamente justificadas com base nos critérios estabelecidos pela Resolução Conama nº 394/2007. Somente serão analisadas as contribuições que estiverem dentro dos critérios estabelecidos.
Segundo o diretor de Uso sustentável da Biodiversidade e Florestas, Antônio Carlos Hummel, o Ibama utilizou os critérios indicados na Resolução para preparar a lista.

9 de mar de 2008

PLANO DE COMBATE AO DESMATAMENTO NA AMAZÔNIA: CONTINUA DIFÍCIL

Governo cumpre menos da metade do Plano de Combate ao Desmatamento na Amazônia, diz relatório - 06/03/2008 Local: São Paulo - SP Fonte: Amazonia.org.br Link: http://www.amazonia.org.br
Segundo estudo divulgado hoje pelo Greenpeace, o maior motivo foi a falta de coordenação adequada
Aldrey Riechel
Das 162 ações listadas pelo Plano de Prevenção e Combate Desmatamento na Amazônia Legal (PPCDAM), apenas 31% foram cumpridas. As informações são do relatório denominado "O Leão Acordou" divulgado pelo Greenpeace, que analisa o plano desde seu inicio em 2004 até julho de 2007.
O documento aponta que a não realização das ações previstas pelo governo seria uma das causas do aumento do desmatamento no segundo semestre do ano passado. As ações, divididas em três eixos: Ordenamento Territorial e Fundiário, Monitoramento e Controle e Fomento às Atividades Sustentáveis, tiveram baixo índices de execuções. Sendo que Monitoramento foi o eixo que obteve mais resultados, tendo de sete ações previstas, duas executadas e três parcialmente executadas.
Marcelo Marquesine, do Greenpeace afirma que uma das principais causas do baixo número de ações "foi a própria falta de coordenação da Casa Civil que permitiu que os ministérios não se integrassem. Dos 13 ministérios que compunham o plano, apenas quatro integraram o controle e prevenção do desmatamento em suas políticas, o Ministério do Meio Ambiente, o Ministério do Desenvolvimento, Ministério da Justiças e o Ministério de Ciência e Tecnologia. Os demais não trabalharam".
O estudo também destaca a dificuldade em se obter os dados para análise. O programa, que tinha como premissa "promover a transparência e possibilitar o controle social quanto ao andamento de suas ações", não atualiza suas informações desde abril de 2005. Somente após a organização iniciar os questionamentos algumas atualizações voltaram a ser realizadas.

4 de mar de 2008

BIOPRECIPITAÇÃO (PLUVIAL): DESCOBERTA CAUSA MICROBIANA

[BILINGÜE]

INGLÊS: Airborne bacteria may play large role in precipitation.

PORTUGÊS: Bactérias de origem atmosférica podem desempenhar grande papel na precipitação.

INGL.: A Montana State University professor and his colleagues have found evidence suggesting that airborne bacteria are globally distributed in the atmosphere and may play a large role in the cycle of precipitation.

PORT.: Um Professor da Universidade Estadual de Montana [E.U.A.] e seus colegas, descobriram evidência de que bactérias de origem atmosférica, estão amplamente distribuídas na atmosfera e podem desempenhar grande papel no ciclo da precipitação.
INGL.: The research of David Sands, MSU professor of plant sciences and plant pathology, along with his colleagues Christine Foreman, an MSU professor of land resources and environmental sciences, Brent Christner from Louisiana State University and Cindy Morris, will be published in the journal "Science."

PORT.: A pesquisa de David Sands, Professor da MSU, de ciências de botânica e fitopatologia, junto com seus colegas Christine Foreman, Professor de recursos da terra e ciências ambientais, Brent Christner da Universidade Estadual da Louisiana e Cindy Morris, será publicada no periódico "Science".
INGL.: These research findings could potentially supply knowledge that could help reduce drought from Montana to Africa, Sands said.
PORT.: Estas descobertas da pesquisa, podem potencialmente fornecer conhecimento que poderia ajudar a reduzir a seca, de Montana à África, afirmou Sands.
INGL.: Sands, Foreman, Morris, and Christner -- who did post-doctorate work at MSU -- examined precipitation from locations as close as Montana and as far away as Russia to show that the most active ice nuclei are actually biological in origin. Nuclei are the seeds around which ice is formed. Snow and most rain begins with the formation of ice in clouds. Dust and soot can also serve as ice nuclei. But biological ice nuclei are different from dust and soot nuclei because only these biological nuclei can cause freezing at warmer temperatures.
PORT.: Sands, Foreman, Morris, e Christner -- que fez seu trabalho de pós-doutrorado na MSU -- investigaram a precipitação de locais tão perto como Montana e tão distante quanto a Rússia, para mostrar que os núcleos mais ativos [na formação] do gelo, são na verdade de origem biológica. Os núcleos são sementes ao redor das quais o gelo é formado. A neve e a maioria da chuva começa com a formação de gelo nas nuvens. Poeira e fuligem [partículas sólidas provenientes de queima de materiais diversos] também atuam como núcleos de gelo. Mas os núcleos biológicos de gelo são diferentes dos núcleos de poeira e de fuligem, porque somente os núcleos biológicos podem causar congelamento em temperaturas mais quentes.
ING.: Biological precipitation, or the "bio-precipitation" cycle, as Sands calls it, basically is this: bacteria form little groups on the surface of plants. Wind then sweeps the bacteria into the atmosphere, and ice crystals form around them. Water clumps on to the crystals, making them bigger and bigger. The ice crystals turn into rain and fall to the ground. When precipitation occurs, then, the bacteria have the opportunity to make it back down to the ground. If even one bacterium lands on a plant, it can multiply and form groups, thus causing the cycle to repeat itself.
PORT.: Precipitação biológica, ou o ciclo de "bio-precipitação", como Sands a denomina, é basicamente isto: bactérias que formam pequenos grupos na superfície de plantas. O vento varre as bactérias para a atmosfera, e formam-se cristais de gelo ao seu redor. Água acumula-se sobre os cristais tornando-os cada vez maiores. Os cristais de gelo transformam-se em chuva e caem na terra. Quando a precipitação ocorre, então as bactérias têm a oportunidade de retornarem à terra. Se até mesmo uma única bactéria aterrissa sobre a planta, ela poderá multiplicar-se e formar grupos, garantindo a continuidade do ciclo.
INGL.: "I want people to be fascinated by the interconnection of things going on in the environment," Sands said. "It's all interconnected."
PORT.: "Eu quero ver as pessoas fascinadas com a interligação das coisas que acontecem no ambiente", afirmou Sands. "Tudo está interligado".

1 de mar de 2008

FTALATO: PODE SER PREJUDICIAL (OU NÃO???)

Trecho reproduzido de notícia veiculada pela Internet, proveniente do jornal O Estado de São Paulo:
Faber-Castell recolhe borracha com substância tóxica
A Faber-Castell, uma das maiores fabricantes brasileiras de material escolar, começou a substituir as borrachas TK Plast fabricadas antes de 13 de setembro do ano passado por outras. A iniciativa começou após uma entidade de defesa do Consumidor, a Pro Teste, divulgar que a borracha, modelos branco com embalagem azul e amarelo com embalagem amarela, apresentavam a substância química FTALATO em sua composição. Os consumidores que compraram o produto antes de 13 de setembro de 2007 ou têm dúvidas sobre as borrachas que possuem em casa, devem entrar em contato com a Faber-Castell pelo telefone 0800-7720025, entre 8 horas e 18 horas. A ligação é gratuita. A empresa, no entanto, não caracterizou a ação como um recall. "Não existem estudos conclusivos sobre os riscos à saúde decorrentes do uso de FTALATO, sendo que nos EUA ainda não há uma legislação de restrição ao seu uso, e a Comunidade Européia, como medida preventiva, determinou a retirada desse componente", afirma a empresa, em comunicado. Mas há suspeitas de que ele possa causar danos à saúde. "Na Europa, o nível de ftalato presente em um produto não pode ser superior a 0,1%", explica Maria Inês Dolci, coordenadora da Pro Teste. "Nas borrachas da Faber-Castell, havia 50 vezes mais FTALATO do que o permitido."
O QUE É O FTALATO (="phthalate", em inglês): informações obtidas da Wikipedia, mostram que o FTALATO quando adicionado a plásticos, permite que longas moléculas de polivinil deslizem umas sobre as outras. Há vários tipos dessa substância, produzidos em milhares de toneladas e adicionados aos mais diversos plásticos (principalmente na fabricação do PVC), com muitas finalidades (esmaltes-polidores de unha; adesivos; pigmentos de tintas; isca para pesca; solventes de perfumes e pesticidas; "borrachas gelatinosas"; calefação; na eletrônica, como em iPhone, iPod, computadores ... e até em "artigos eróticos" ou sex toys). O FTALATO tem tido seu uso banido de brinquedos para crianças.
RISCOS À SAÚDE: estudos mostram que a maioria dos americanos que tiveram sua urina testada, estão expostos ao FTALATO. Esta substância, , em altas doses em ratos, influenciaram atividade hormonal. Há estudos (ainda em discussão) de que em seres humanos, no período de gestação, o FTALATO altera a "distância anogenital" em meninos, encurtando-a. Alguns pesquisadores suspeitam que até criptorquidia possa ocorrer em conseqüência de sua ingestão adicionada de pesticidas anti-androgênicos.