Total de visualizações de página

19 de set de 2013

ALEMANHA: DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL NA PRÁTICA!


[Uma rápida visão de um país que sabe praticar desenvolvimento sustentável - reproduzido de http://g1.globo.com/platb/mundo-sustentavel/]

Imagens de um dos países mais sustentáveis do mundo

qua, 18/09/13
por andre trigueiro |
Foi a segunda vez que visitei a Alemanha a trabalho. Tanto em 2006 (durante a primeira Copa do Mundo “verde” da História) quanto agora, quando registramos para o Jornal da Globo a “virada energética” do país (1ª reportagem da série vai ao ar nesta quinta-feira, 19), fui arrebatado por uma cultura em que a sustentabilidade parece ter sido assimilada como um estilo de vida que inspira as principais escolhas feitas pelos alemães no dia-a-dia.
Abaixo, neste despretensioso álbum de viagem, compartilho algumas imagens (não esperem deste fotógrafo de ocasião o esmero de um profissional) que dizem muito a esse respeito.
1 – De vento em popa
Não é exagero dizer que a Alemanha se transformou em um gigantesco paliteiro de aerogeradores. Quem viaja pelo país se depara a todo instante com esses modernos cataventos compondo as paisagens. Os alemães geram hoje mais energia com o vento do que nós por aqui com a hidrelétrica de Itaipu. E ainda obtém lucros importantes com a venda de equipamentos e know-how a países interessados nesta fonte limpa e renovável de energia, como o Brasil.
2 – Com o sol a pino
 Com o sol a pino

Faz muito menos sol na Alemanha do que no Brasil. Ainda assim, a quantidade energia solar captada por eles já abastece o equivalente a 8 milhões de residências. A decisão de desligar todas as centrais nucleares alemãs após o acidente de Fukushima (2011) acelerou os investimentos em fontes alternativas. Na foto, a maior usina solar da Europa (feita com equipamentos de última geração) recém inaugurada nos arredores de Berlim, exatamente onde havia antes uma antiga base militar soviética,abandonada após o fim da guerra fria. Imagine uma área equivalente a 212 campos de futebol cobertos de placas fotovoltaicas. Parece uma paisagem futurista. Só que para os alemães, o futuro é agora.
3 – O teto solar do maior mercado de Berlim

A febre de cobrir telhados, lajes ou qualquer superfície plana disponível pegou os alemães de jeito. Foi o que aconteceu também no maior mercado de Berlim. Numa área equivalente a 6 campos de futebol, uma parceria público-privada investiu 6 milhões de reais (valores convertidos para a nossa moeda) num projeto que permitirá a venda da energia excedente para a rede. Perspectiva de lucro em aproximadamente 15 anos. Parece muito para quem só enxerga no curto prazo. Mas no país mais rico e populoso da Europa, a verdadeira riqueza é aquela que se pereniza na linha do tempo baseada em valores sustentáveis.
4 – A cidade mais sustentável do mundo

Freiburg é considerada por muitos a cidade mais sustentável do mundo. Transporte público de massa eficiente e barato, segurança para os ciclistas, estímulos para a construção de habitações sustentáveis (“Vauban”é um exemplo de condomínio sustentável reconhecido internacionalmente) e um histórico de lutas contra a energia nuclear (foi a primeira cidade alemã a banir por lei a construção de usinas atômicas) tornaram Freiburg uma cidade orgulhosa de estar à frente de seu tempo. É também o lugar da Alemanha onde os “verdes” ocupam o maior número de cadeiras no parlamento.
5 – De bicicleta se vai longe


Flagrante da movimentação de ciclistas em uma estação de trem nos arredores de Berlim. Os vagões previamente identificados asseguram o espaço da bicicleta sem estresse. O sistema integrado de transportes abre espaço para as “magrelas”, sem burocracia ou preconceito. É bastante comum vermos idosos andando de bicicleta na Alemanha, se beneficiando também das facilidades de deslocamento nos trens.
6 – Ecodesign
Os modelos construtivos alemães se adaptam rapidamente aos novos tempos. Isso vale todos os gêneros de projetos, de habitação popular a monumentos históricos. Há também as situações em que projetos antigos são retrofitados a partir de soluções sustentáveis. Foi o que aconteceu com a cúpula de vidro do Reichstag (o parlamento alemão) e a cobertura vazada de luz natural do Estádio de Munique.

Nenhum comentário: