Total de visualizações de página

26 de ago de 2014

QUEIMADAS AVANÇAM NA AMAZÔNIA...E ALGUNS DIZEM QUE "ELAS ESTÃO DIMINUINDO"!!!

Queimadas avançam na Amazônia e poluem o ar de Manaus



Alguns destaques:
No Amazonas, os focos de queimadas cresceram 76% entre 1º de janeiro e 19 de agosto de 2014 em relação ao mesmo período do ano passado, diz o Inpe. Só nos primeiros 19 dias de agosto de 2014 o Inpe registrou 1.302 focos no Estado.

Segundo o pesquisador Alberto Setzer, a fumaça das queimadas do sul do Amazonas e do sudoeste do Pará é a responsável pela extensa névoa de poluição de ar estacionada sobre a cidade de Manaus desde as primeiras horas desta quarta-feira (20).

“Toda a cidade está coberta pela fumaça proveniente, sobretudo, de Apuí e das cidades paraenses de Altamira, Itaituba e Novo Progresso. A situação tende a piorar caso não haja medidas efetivas de fiscalização de combate aos focos, o que pode agravar a poluição e a saúde das pessoas”, disse o pesquisador do Inpe.

Alberto Setzer citou três “elementos” por trás desta situação: o clima seco que favorece o uso e propagação do fogo, a ampliação da fronteira agrícola e a fiscalização.

“A gente sabe que tudo isso (queimadas e incêndios) é proibido. Alguns Estados criaram decretos recentes aumentando o rigor, mas a realidade mostra uma situação diferente. São milhares de focos acontecendo. Por trás de todos esses focos, há ação humana, de propósito ou descuido. Nada disso começa sozinho. Mas se a fiscalização for mais intensa, se queima menos”, afirma o pesquisador.

O modelo de monitoramento do Inpe, segundo Alberto Setzer, não aponta as localidades dos municípios onde há maior registro de queimadas. Portanto, não é possível saber com exatidão se as maiores ocorrências são em fazendas, assentamentos ou áreas protegidas (unidades de conservação e terras indígenas).

Mas o Inpe tem um monitoramento específico para unidades de conservação. De acordo com dados do órgão, a unidade de conservação mais afetada por queimadas é a Flona (Floresta Nacional) de Jamaxim, no Pará, com 2.042 focos desde o dia 1º de agosto. No Amazonas, o Parna (Parque Nacional) Campos Amazônicos, no sul do Estado, registrou até o momento 317 focos de queimadas.

Nenhum comentário: