Total de visualizações de página

7 de out de 2015

TRAÇÃO ANIMAL: EM MUITAS SITUAÇÕES UMA BARBÁRIE QUE PRECISA SER ABOLIDA, EM DEFINITIVO!!!

Se por um lado, devemos reconhecer que na história das sociedades humanas o transporte por tração animal foi vital para o seu desenvolvimento, hoje, após a revolução industrial e o crescimento dos centros urbanos é muito difícil admitirmos que tal "logística" deva continuar a existir.
Até em zonas rurais, hoje em dia, o uso de transporte motorizado, motocicletas principalmente, vem substituindo com eficiência, os tradicionais burros e jumentos no transporte de mercadorias e pessoas.
Infelizmente, a ignorância e muitas vezes, a ausência de sensibilidade de muitos seres humanos no trato com animais, nos fazem ainda ver nas nossas cidades, Brasil a fora, cenas como as das fotos que se seguem. Uma TRISTE E LAMENTÁVEL VERGONHA, para nós que nos consideramos "evoluídos".

Um animal é um ser senciente porque tem a capacidade de sentir – sensações e sentimentos.

Os animais não têm a mínima possibilidade de livrar-se de maus tratos que lhes são impostos pelos ditos seres "desumanos". Alguns alegam que ao utilizarmos animais na nossa alimentação, não pensamos em seus sofrimentos. A Natureza programou a cadeia alimentar como uma das bases de sua sustentação. Este é um fato. A inteligência humana desenvolveu tecnologia que se aplicada com racionalidade reduz o sofrimento de tais animais dos quais nos alimentamos. Este é outro fato, que vem sendo enriquecido pelo crescente aumento de pessoas adeptas do "consumir mais vegetais (cereais principalmente) e matar menos" (eu aqui me incluo).

Nessa mesma linha de avaliação é também uma tragédia a utilização de animais para o "prazer humano" com o intuito de divertir-se, tais como em touradas, rodeios...

Algumas fotos e trecho de texto que se segue, reproduzidos de www.onca.net.br




[O texto completo acima, pode ser visto no site www.onca.net.br]

Várias cidades brasileiras vêm abolindo o transporte por tração animal, assim como o uso de animais em espetáculos (em circos, rodeios, vaquejadas...). Nossas "dificuldades de praxe", como por exemplo, fiscalizar se há obediência à lei, me leva a crer que somente uma proibição definitiva em se utilizar animais para tais fins (tração animal, diversão) pode gerar solução definitiva. Penso que de pouco adianta criar "algumas variáveis para uso de animais". Cito como exemplo a tradicional "briga de galos". Somente sua proibição definitiva vem contribuindo para sua descontinuidade.
Enquanto campanhas de conscientização e educação ambiental contribuem para, pelo menos, amenizar esse problema, muito há ainda por se fazer!


Nenhum comentário: