Total de visualizações de página

5 de mai de 2013

CAPACIDADE DE SUPORTE: CONCEITO E REPRESENTAÇÃO GRÁFICA

..."e tome-lhe gráficos"!!! Mais um exemplo (de combate à fobia-de-gráficos), reproduzido do livro de BEGON et al., referenciado na postagem anterior.
Inicialmente vejamos o conceito de "capacidade de suporte" ("carrying capacity", em inglês). Conceito reproduzido do Glossário de Ecologia e Ciências Ambientais (GRISI,B.M., disponível em CD, propriedade do autor):

CAPACIDADE DE SUPORTE
  CAPACIDADE DE SUPORTE = CAPACIDADE DE MANUTENÇÃO AMBIENTAL
  Limite em que determinado ecossistema é capaz de suportar (ou manter) uma população ou
populações, em nível de equilíbrio, isto é, no ponto em que não há modificação significante no número
de indivíduos dessa população.
  No agronegócio, particularmente na pecuária, fala-se em capacidade de suporte de pastagens ou
taxa de lotação média (exemplo: cabeça de gado bovino por hectare). Para efeito comparativo vejamos
este exemplo: na Amazônia a taxa de lotação média é de 1,4 (cabeça por hectare) enquanto no sul do
Brasil é de 4,7 (cabeças por hectare) (dados de 2009). Tal condição gera uma produtividade de
aproximadamente 85 kg de carne/ha por ano na Amazônia e 450 kg/ha por ano no sul.

E agora, vejamos o gráfico abaixo, representativo de população de um animal:

Pergunta:
Certamente você já sabe, pela prática com os gráficos das postagens anteriores, que no eixo vertical y, da ordenada, estão os dados (comumente chamadas de "variáveis dependentes") que variam em função dos dados  representados no eixo x, da abscissa (comumente chamadas de "variáveis independentes").
Interprete o gráfico, ou seja, o que acontece com os nascimentos e mortalidade, ou suas taxas? Sabendo-se que estes gráficos dizem respeito à capacidade de suporte num ecossistema, o que representaria K?

Respostas:
Observamos que as taxas de nascimento e mortalidade são representadas como dependentes da densidade populacional (de certo animal), e que atuam na regulação do tamanho dessa população. No gráfico (a) ambas as taxas (de nascimento e de mortalidade) são representadas como dependentes da densidade. E nos gráficos (b) e (c) cada uma dessas taxas são representadas, isoladamente, como dependentes da densidade.
Nos gráficos  está assinalada a densidade em que, neste ponto, ocorre um equilíbrio: a capacidade de suporte, K. Abaixo deste ponto, ou seja, no sentido para a esquerda (no eixo x, da densidade) a população aumenta [lembrete: os valores na abscissa, valores de K, aumentam da esquerda para a direita], atingindo-se ponto mais elevado na curva de nascimentos e ponto mais baixo na curva de mortalidade.
Os autores consideram ainda, como importante, que as duas taxas não se equilibram exatamente num ponto; mas sim, numa faixa de densidade, como é mostrado no último gráfico (d).

.


Nenhum comentário: