Total de visualizações de página

12 de jul de 2012

ESTA NOTÍCIA ESTÁ EM TODOS OS BLOGS: BRASIL JÁ DEVASTOU O EQUIVALENTE A "DUAS FRANÇAS"

[Segundo o Ministério do Meio Ambiente, postado em www.amazonia.org.br e outros sites]

Vejam estas afirmações:

Se o Brasil recuperasse suas áreas degradadas – terras abandonadas, em processo de erosão ou mal utilizadas – não seria preciso derrubar mais nenhum hectare de floresta para a agropecuária. A avaliação é de técnicos e pesquisadores reunidos ontem (11), durante o 9º Simpósio Nacional de Recuperação de Áreas Degradadas (9º Sinrad), que ocorre no Rio até dia 13.

O diretor do Departamento de Florestas do Ministério do Meio Ambiente (MMA), Fernando Tatagiba, estimou em até 140 milhões de hectares o total de terras nessa situação no país, área superior a duas vezes o tamanho da França. O ministério está finalizando seu novo plano plurianual, que dará grande importância à recuperação da terra como forma de evitar o empobrecimento das populações e prevenir a derrubada de mais áreas de florestas.

MAS, COMO MUITOS RURALISTAS PARECEM QUE NÃO SABEM LER... OU QUEREM QUE A NATUREZA BRASILEIRA VÁ PROS QUINTOS DOS INFERNOS... eles continuam "lutando para alterar o Código Florestal, tornando-o CÓDIGO DOS RURALISTAS".

Segundo o diretor, existem áreas degradadas em todos os biomas e regiões do país. “Obviamente, onde a ocupação humana é mais antiga, existem áreas mais extensas, como é o caso da Mata Atlântica. Mais recentemente, temos o Cerrado. Na Amazônia, as áreas degradadas estão localizadas em locais de mineração e no chamado Arco do Desmatamento [faixa de terra de pressão agrícola marcada por queimadas e derrubadas, ao sul da Amazônia, do Maranhão ao Acre - ver figura]”, explicou.




“Para reduzir a pressão sobre florestas, há necessidade de se recuperar pastagens degradadas, que são em torno de 15 milhões de hectares. Se você recupera a capacidade produtiva dessa pastagem, elimina a necessidade de suprimir uma área equivalente em florestas. Além disso, é preciso aumentar a produtividade da pecuária, pois não tem cabimento um boi por Maracanã [equivalente a um hectare]”, comparou Tatagiba.

Postei neste blog, em 30/06/2012 um vídeo mostrando como é possível conciliar agronegócio com preservação:

SISTEMA INTENSIVO E PECUÁRIA SUSTENTÁVEL = GADO + LAVOURA + FLORESTA


E o vídeo inserido pode ser revisto em:

http://g1.globo.com/natureza/noticia/2012/05/integracao-com-lavoura-e-floresta-e-o-caminho-da-pecuaria-sustentavel.html

AUMENTAR SEUS LUCROS A QUALQUER CUSTO, DE DEGRADAÇÃO DO POTENCIAL DA NATUREZA, É O LEMA DOS RURALISTAS.

Nenhum comentário: