Total de visualizações de página

18 de jun de 2013

ESTÁDIO TAMBÉM NO AMAZONAS: A SER PAGO PELO POVO EM 20 ANOS

[Reproduzido de http://amazonia.org.br/2013/06/arena-amaz%c3%b4nia-uma-d%c3%advida-de-20-anos/]

Arena Amazônia: Uma dívida de 20 anos

Financiamentos junto ao BNDES e à Caixa Econômica para construir a Arena da Amazônia serão pagos até 2033.

Estádio está sendo erguido para a Copa do Mundo que acontece no Brasil em 2014 (Carlos Souza)
A utilidade da Arena da Amazônia, após a Copa do Mundo de 2014, ainda é incerta. Já o tempo que o Estado vai precisar para pagar, com dinheiro do contribuinte, os R$ 550,7 milhões que está recebendo de bancos para construir a obra está definido: duas décadas.
[...]
Vital para a realização do evento em Manaus, a construção da Arena da Amazônia está com custo estimado em R$ 550,7 milhões. Desse total, R$ 400 milhões estão saindo dos cofres do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
Muita obra para pouco torcedor
Considerando a renda obtida com a venda de ingressos no campeonato amazonense de futebol em 2013, será necessário mais de um milênio (1.201 anos) para pagar o custo da obra da Arena da Amazônia. Um ingresso dos 45,4 mil vendidos em toda a competição custou R$ 10.
Um dos argumentos que engrossa o coro de quem aponta o estádio como um “elefante branco” é justamente o de que a arena dificilmente será utilizada com a frequência necessária para pagar as contas para conservá-la. O campeonato amazonense dura quatro meses.
Para se ter ideia, o número de ingressos vendidos ao longo de todo o campeonato amazonense em 2013 foi de 45.448. O novo estádio tem capacidade para 44 mil pessoas. Ou seja, daria para colocar na arena, de uma só vez, todos os torcedores que pagaram para assistir os 59 jogos da competição.
[...]
[CONCLUSÃO. Frente à situação em que muitas capitais hoje vivem no Brasil, com precariedade crítica nos setores essenciais que se constituem na base de uma boa qualidade de  vida, educação e    saúde,  principalmente,  não é difícil deduzir que o desperdício é de grandes proporções]

Nenhum comentário: